A volta dos Rosés

redacao 15 de março de 2016 0

“Ótimos para harmonizarem com camarões, peixes gordurosos como salmão, rosbife, carpaccio, saladas, massas, embutidos, queijos, aves, omeletes…”

Após um período em que ele não foi muito procurado nas prateleiras das adegas brasileiras, o vinho rosé está voltando com tudo e tem sido bastante apreciado por quem gosta de harmonizar bem diversos alimentos com os vinhos certos.

“O rosé assim como o branco seria perfeito para o clima do Brasil. Muitos acham que vinho bom é tinto ou branco apenas. Quem começa a tomar vinho normalmente “estufa o peito” e fala que gosta de vinhos tintos e encorpados. No entanto, temos vinhos certos para cada ocasião. E ao meu ver o que falta são mais opções nas cartas de restaurantes e nas prateleiras, além de pessoal (sommelier, garçom etc.) melhor preparado para sugerir ao cliente”, explica o professor Gerson Bonilha Junior , do curso de Tecnologia em Gastronomia do Centro Universitário Senac – Santo Amaro.

Segundo o docente, o rosé é elaborado com uvas tintas. A concentração de cor vai depender da uva usada e do tempo de contato da casca durante a fermentação. “Desta forma temos vinhos rosés leves e parecidos com brancos até alguns mais encorpados próximos dos tintos. De maneira geral têm boa acidez, frescor, são frutados e fáceis de beber”, prossegue, enfatizando ainda que são “ótimos para harmonizarem com camarões, peixes gordurosos como salmão, rosbife, carpaccio, saladas, massas, embutidos, queijos, aves, omeletes. Trata-se de um grande “curinga” (imagine um casal em um restaurante: a mulher escolhe um peixe e o homem, uma carne. Nesta situação um rosé cairia muito bem ao invés de abrir um branco e um tinto!).” E finaliza: “Deve ser servido entre 6°C e 12°C, vai depender das características do rosé: Quanto mais leve, mais frio. Quanto mais encorpado e mais presença de tanino (substância que deixa o vinho adstringente encontrada na casca da uva), menos frio”.

Foto: Divulgação

RAPARIGA DA QUINTA COLHEITA ROSÉ 2012
Ótima novidade da linha Rapariga da Quinta, este vinho da região do Alentejo tem tudo o que se espera de um rosado: fruta vermelha doce, discreto toque floral, acidez refrescante e equilíbrio. Em um estilo despretensioso, é um bom companheiro de petiscos e pratos leves, mas também funciona como aperitivo. Preço sugerido: R$ 60,00

ROSA DEI MASI 2013
Rosa dei Masi é o novo rosado de alta gama da Masi, elaborado com uvas Refosco levemente passificadas. A passificação confere ao vinho uma notável complexidade aromática, mas o breve contato com as cascas deixa o vinho leve e fresco, com uma bela cor. Um rosado sério, mas que oferece grande prazer. Preço sugerido: R$ 136,05

Deixe uma resposta »