Atividades físicas de baixo impacto evitam problemas de coluna em gestantes

redacao 20 de março de 2018 1

Toda mulher ganha peso durante a gestação. Uma mulher saudável engorda entre 11kg e 15kg até a hora do parto. Esses quilinhos a mais são necessários, porque o corpo está em adaptação para proporcionar melhores condições ao bebê.

Porém com a aquisição do peso extra, alguns desconfortos comuns atingem a gestação. Um deles é a dor na região lombar. “Com o crescimento do útero, os músculos abdominais ficam mais fracos e ocorre um deslocamento do centro de gravidade para frente, desta forma, os músculos das costas passam a trabalhar constante e de forma involuntária. O resultado dessas alterações é o aumento da lordose lombar”, explica o Dr. Helder Montenegro, fisioterapeuta especialista em coluna vertebral, presidente da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna – ABRC.

De acordo com o especialista, a hiperlordose leva a um maior atrito das articulações intervertebrais que, por consequência, provocam lesões na região. “Essa musculatura com fadiga associada ao enfraquecimento dos ligamentos – instigado pelo aumento do hormônio relaxina – provocam instabilidade articular. Desta forma, a postura inadequada acarreta em dor nas costas, no cóccix, no quadril e nas pernas”, informa o fisioterapeuta.

Para fortalecer a região da lombar e prevenir o aparecimento de dores, a prática de exercícios físicos é fundamental. “O exercício contribuirá para o controle do peso, melhoramento da postura e ativação da circulação sanguínea. Mas antes de optar por alguma modalidade, é indicado buscar orientação e liberação prévia do obstetra e um bom programa de atividade física elaborado por um profissional de educação física”, orienta Montenegro.

Já que gravidez não é desculpa para ficar parada, confira as sugestões do Dr. Helder Montenegro de exercícios de baixo impacto que cooperam para a prevenção de dores nas costas.

Caminhada: é um dos melhores exercícios para grávidas, podendo ser feita em esteira ou ao ar livre. Essa atividade de baixo impacto auxilia na melhora da circulação sanguínea que é tão comprometida durante os meses gestacionais, já que o crescimento do útero provoca uma compressão na veia cava e assim dificulta o retorno venoso. Além disso, como os hormônios deixam os ligamentos da gestante com maior laxidão e com isso poderá aparecer instabilidade vertebral, fazendo com que as articulações fiquem mais frouxas, a caminhada ajudará a mobilidade articular, contribuindo para a prevenção de lesões ou aparecimento de dores no quadril, joelhos, tornozelos e especialmente na coluna.

Corrida leve: o exercício não é recomendado para quem não possui familiaridade. Ou seja, é indicada para mulheres que já corriam antes mesmo de engravidar. Pode ser realizada nos nove meses de gestação, porque ajuda no condicionamento cardiopulmonar, circulatório e trabalha com a musculatura de um modo geral. Mas, durante o primeiro trimestre da gravidez devem-se tomar alguns cuidados extras como evitar correr em lugares muito desnivelados para prevenir quedas e procurar correr em dias menos quentes, pois o aumento da temperatura corporal da mãe pode prejudicar o bebê.

Pilates: é indicado para a gestante, pois melhora a postura. Com isso, alivia os desconfortos lombares muito comuns nesse período. A modalidade contribui ainda para o fortalecimento muscular e região pélvica, alivia o inchaço nas pernas, aumenta o condicionamento físico e a sensação de bem estar, além de controlar o peso corporal. Outro benefício é que, devido ao fortalecimento da região pélvica, facilita a recuperação da mesma no pós-parto.

Hidroginástica: uma boa aula de hidroginástica colabora para o fortalecimento do abdômen e do músculo períneo, o que facilita na hora do parto. É indicada para mulheres que eram sedentárias antes da concepção. Pode ser praticada desde o primeiro até o último trimestre de gestação, pois reduz dores nas articulações como quadril, joelhos e tornozelos, contribuem para o alívio de dores nas costas e ameniza o inchaço.

Musculação: É uma das modalidades esportivas mais seguras e indicadas para as gestantes, o importante é ter o aval do médico. O treino de musculação quando elaborado por um excelente profissional poderá trazer grandes benefícios durante a gestação e principalmente no momento do parto, pois nesse momento a gestante precisa de ter muita força abdominal para ajudar no nascimento da criança. Os equipamentos também trazem segurança no quesito ergonomia, com isso as possibilidades de lesões na coluna diminuem. O programa deve ser associado ao trabalho aeróbico, com isso o sistema cardiovascular será contemplado também.

Alongamento: é indicado para todas as grávidas, pois aumenta a flexibilidade e ajuda a relaxar o corpo. O alongamento alivia também a tensão e dores nas costas provenientes das mudanças posturais por causa da elevação do peso e aumento da barriga da gestante. Não é aconselhado realizar alongamentos todos os dias, pois os hormônios deixam as articulações mais sensíveis neste período. O ideal é buscar recomendação de um especialista para que ele indique qual a frequência da prática. Caso a gestante seja portadora de lesões degenerativas (hérnia de disco, protrusão etc.) é importante que um fisioterapeuta participe da elaboração dos exercícios.

 

Dr. Helder Montenegro, fisioterapeuta, especialista em coluna vertebral, presidente da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna – ABR Coluna, diretor do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral e criador da técnica reconstrução músculo-articular da coluna vertebral.

 

Um comentário »

  1. Xica 26 de novembro de 2015 em 2:01 - Reply

    Muito interessante o coment

Deixe uma resposta »