Bar Quintana uma homenagem ao poeta

redacao 17 de junho de 2014 0

Foto: Elvis Fernandes

LOCALIZADO NA VILA SOFIA, O BAR POSSUI QUATRO AMBIENTES, SENDO QUE UM DELES É DEDICADO TAMBÉM À RECREAÇÃO PARA CRIANÇAS.

Com a intenção de mostrar que a comida do Sul é bem mais rica que o saboroso churrasco gaúcho, o chef Marcos Livi, quando ainda era estudante de hotelaria, fez uma intensa pesquisa sobre a culinária e pôde conhecer sua diversidade dada pela influência das colônias europeias. Anos mais tarde, após viajar pela Europa, o chef que já trabalhava em São Paulo decidiu criar um projeto unindo gastronomia e literatura. Foi assim que há seis anos surgiu o Veríssimo Bar, que leva a assinatura do escritor Luiz Fernando Veríssimo. Após o sucesso da casa, o chef porto-alegrense inaugurou ao lado de sua esposa, Vera de Andréa Livi, em novembro de 2013, o Quintana Bar, inspirado no poeta das coisas simples, Mário Quintana (1906-1994). Fugindo dos grandes centros, Marcos escolheu o bairro de Vila Sofia para instalar o bar. Dividida em quatro ambientes, sendo que o térreo com varanda comporta 72 pessoas, o balcão do bar 12, o mezanino 48 e o loun­ge com a horta 30, a casa tem um público va­riado de 8 a 80 anos. Nas paredes, assim como nas páginas dos livros de Mário Quin­tana, há frases do poeta; no pé-direito um enorme painel caça-palavras, também usado para estampar o papel da mesa e do embru­lho, rouba a cena. Outro ponto que merece destaque é a escada que, com seus degraus transformados em livros de Quintana, leva os visitantes ao mezanino. Nesta parte a decora­ção é rústica e enaltecida pela naturalidade alcançada por um ambiente a céu aberto e por conter uma horta urbana que, além de ser palco para distrair a criançada, fornece ervas e pimentas frescas para a cozinha. “Penso que as pessoas devem ficar focadas no prato e para isso temos que ter um bom ambiente. Na hora em que os pais veem as crianças entretidas e eles conseguem dar oi um para o outro isso muda, nos gera um ponto positivo. Por isso, fazemos recreação para os pequenos na horta, queremos que elas levem algo que construíram aqui”, comenta o chef.

“NOSSA INTENÇÃO É RESGATAR O PRAZER DE ESTAR À MESA… QUEREMOS QUE AS PESSOAS TENHAM UMA EXPERIÊNCIA INFORMAL, ESSA É A NOSSA BANDEIRA, MOSTRAR O REGIONALISMO DO SUL DENTRO DE SÃO PAULO.”

Foto: Elvis Fernandes

O sabor diz mais que mil palavras

Tudo deve ser compartilhado. Esta é uma das premissas de Marcos Livi, desta forma o cardápio reúne petiscos, saladas, massas, grelhados e outros pratos que valorizam os sabores do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e dos colonizadores da região. “Não criei nada, pesquisei tudo que já existia e trouxe para uma leitura atual, não há uma criação, há uma maneira atual de apresentar”, conta. Entre as variedades do menu estão o Camarão rosa com abóbora cabocha; o Bigos (um cozido de costelinha e calabresa defumada com funghi e bacon, da cozinha polonesa, que se transformou num único bolinho); e o Varenyke (contribuição ucraniana que é um tipo de pastel judaico recheado com batata, ovo cozido, cebola caramelada e folhas verdes).“O público também gosta do nosso Ceviche de tainha, Canapé de carne de onça, Espinhaço de ovelha… E entre as sobremesas um dos sucessos é o Foto: Elvis FernandesPavlova, suspiro recheado de frutas vermelhas com creme de nata e limão que acompanha um sorvete à escolha: nata ou chimarrão”, completa. Ainda seguindo a tradição de compartilhamento, os drinques são servidos em taças e ao invés de canudos são colocadas bombas de mate, para que as pessoas possam dividir. “Nossa intenção é resgatar o prazer de estar à mesa… Queremos que as pessoas tenham uma experiência informal, essa é a nossa bandeira, mostrar o regionalismo do Sul dentro de São Paulo”, finaliza o proprietário, que já tem um projeto ‘no forno’ e, optando por manter segredo, adiantou que é um bar italiano e será inaugurado em setembro no bairro do Morumbi.

Gostou? Então leva para casa!

O bar também comporta uma espécie de armazém e uma minipadaria, logo os que passam por lá podem levar produtos do Sul, como embutidos, mel, queijos serranos, vários tipos de erva-mate, vinhos, cachaças, cervejas, pães e bolos típicos, para comer em casa.

——————————————————————————————————————————————

Arroz de carreteiro

Foto: Henrique Peron

Ingredientes:
200 g de charque cozido em cubos • 55 g de tomate concassé • 30 ml de óleo de soja • 100 g de fundo de carne • 50 g de cebola cortada em cubos pequenos • 10 g de alho amassado • 10 g de salsinha • 10 g de cebolinha • 80 g de arroz • 1 ovo cozido • 30 g de bacon cortado em cubos pequenos

Modo de Preparo:
Refogue a cebola e o alho no óleo e junte o charque e o arroz para fritarem um pouco. Adicione fundo de carne suficiente para cobrir o arroz e deixe cozinhar (se preciso adicione mais fundo de carne durante o cozimento). Quando o arroz estiver quase cozido, junte os tomates em cubos bem pequenos, a salsa e a cebolinha para finalizar. Decore com ovo ralado e bacon crocante. O arroz carreteiro deve ficar bem cremoso e úmido.

——————————————————————————————————————————————

Serviço
Bar Quintana – Rua Olavo Bilac, 57 – Vila Sofia – Tel.: 2129-6570
Hor.: De 2ª a sáb., das 11h à 01h e dom., das 11h às 18h
www.quintanabar.com.br
Recreação para crianças com monitor: sáb. e dom., das 13h às 17h30.

Deixe uma resposta »