Conhecendo melhor os deliciosos vinhos brancos

redacao 14 de março de 2018 0
Conhecendo melhor os deliciosos vinhos brancos

Com o boom da gastronomia nos últimos tempos no Brasil e no mundo, os vinhos passaram de excelentes opções de bebida para algo mais glamoroso, e conhecê-los melhor é sempre bom para uma harmonização ideal com os pratos preferidos da culinária nacional ou internacional.

Um dos vinhos mais aclamados não só pelo sabor mas também pela grande possibilidade de acompanhar diversos alimentos é o branco.
O professor João José Correa, do curso de Bebidas, Serviços e Gestão do Senac, explica que “os vinhos brancos geralmente são mais jovens, leves, bastante frutados, pois na maioria das vezes não passam por processos de amadurecimento em madeira (exceto os grandes chardonnay), e isso mantém o frescor, acidez e aromas de frutas tropicais e cítricas, aromas de flores brancas e especiarias muito presentes em suas características. De acordo com a uva ou a região onde foi produzido, apresentam fortes traços de minerais. Em alguns casos, podemos encontrar vinhos brancos mais complexos e estruturados, com toques amanteigados, principalmente aqueles que passam por estágios em barricas de madeira”.

Segundo ele, em geral, as uvas para a produção do vinho branco conseguem encontrar condições melhores de produção em regiões mais frias, com invernos mais longos, alta incidência de chuvas, e em solos com predominância de minerais como os calcários e argilosos. Justamente por essa razão, os melhores são os “do Chile, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul e vários outros países mundo, porém não tem como falar de vinho branco sem reverenciar os sedosos franceses do vale do Loire feitos a partir da casta Sauvignon Blanc como os famosos Pouilly Fumé e o Sancerre; os complexos e encorpados Chablis, com grande potencial de guarda produzidos na Borgonha com a Chardonnay considerada a rainha das uvas brancas; os aromáticos e estruturados Riesling da Alemanha; os pungentes e irresistivelmente perfumados Gewurztraminer franceses da Alsácia; os complexos e doces botritisados de Sauternes; os majestosos tokay da Hungria, sem esquecer os inconfundíveis e refrescantes verdes da região do Minho, no norte de Portugal”.

HARMONIZAÇÃO
Para harmonizá-los, diante destas características, é fácil: “Os vinhos brancos acompanham muito bem os pratos mais leves, como entradas, canapés, alguns embutidos, a grande maioria dos queijos com sabores menos intensos, frutos do mar, peixes, aves, massas com molhos menos condimentados, pratos da culinária Japonesa, e em muitos casos são tão fáceis de se beber que não precisam de acompanhamento algum, apenas uma boa música em uma noite agradável com uma lua inspiradora na companhia de pessoas especiais, ou somente à beira de uma piscina para refrescar o calor”, finaliza o docente.

Serviço:
www.sp.senac.br

Deixe uma resposta »