Família, janta junto todo dia…

redacao 17 de julho de 2013 0

“A instituição família está se dissolvendo”, essa é uma das afirmações que o jornalista César Tralli fez para explicar a falta de educação dos alunos na escola, na ótima entrevista de capa desta edição. Pego o gancho desta afirmação e amplio o assunto para refletirmos o que o distanciamento da família pode estar promovendo.

Nunca se falou tanto em insegurança, necessidade de revisão do Código Penal, medo de sair de casa e em crimes bárbaros. O que estaria acontecendo com os jovens, o que tem provocado esta falta de amor, esta agressividade?

Difícil chegar a uma conclusão, na verdade, acredito que são diversos os fatores que podem ser responsáveis por esta situação, mas aposto muito na ausência do convívio familiar.
Os pais, cada vez mais ocupados, procuram fazer tudo ao mesmo tempo e acabam delegando à escola a responsabilidade da educação. Falta o café da manhã juntos, o almoço em família, a conversa da noite.

No lugar das referências dos pais, da admiração, da conversa, do apoio e aconselhamentos, surgiram a televisão, os computadores, os joguinhos violentos…

Agora a referência de convívio tende a ser o Big Brother ou os ambientes de novelas, onde tudo pode.

A conversa encontrou nas redes sociais a oportunidade de se falar com múltiplas pessoas, de uma forma cifrada, intensa e, ao mesmo tempo, vazia. Estamos formando jovens individualistas, que por viverem a cada dia mais isolados, estão sem referências, sem valores.

Não se trata de ir contra a evolução das tecnologias e formas de comunicação, mas de não abrir mão do convívio com os filhos, do exemplo.

Estão faltando as figuras do pai e da mãe.

É preciso dedicar mais tempo e atenção a eles. Resgatar os valores, a admiração aos exemplos dos pais, aos princípios.

Tudo isso pode conviver muito bem com tudo que a vida moderna oferece. É só ter mais atenção, assumir responsabilidades, agir com mais inteligência…

“Família! Família! Papai, mamãe, titia…. almoça junto todo dia. Nunca perde essa mania…”

Família é muito bom, eles só precisam ter a chance de saber disso.

Somos nós que precisamos dar esta chance a eles! Pense nisso!
Fiquem com Deus e até a próxima!

Paulo César Cardoso
paulopat@pacprommos.com.br

Deixe uma resposta »