Gusttavo Lima & Andressa Suita: “Nós queríamos algo especial, bem íntimo”

redacao 22 de junho de 2016 0

Crédito: João Augusto e Michelle Barzotto

A modelo Andressa Suita e o cantor Gusttavo Lima se casaram no civil dia 15 de novembro de 2015, em uma cerimônia simples e íntima, na cidade de Goiânia. Poucas pessoas estiveram presentes nesse momento tão especial para o casal, entre eles familiares e alguns amigos. E muitos que acompanham a vida dos artistas se perguntaram: “Se eles vivem da mídia, por que preferiram não fazer alarde em uma ocasião tão única como esta?”.

Para a surpresa de todos, eles optaram por espaçar os festejos do cartório e a celebração religiosa, onde agora, no segundo semestre de 2016, subirão ao altar. A modelo conta que para ela isso não é uma inovação, mas sim um desejo deles. Então, para quem busca inspirações para o seu próprio casamento ou aqueles que são fãs desses artistas, nós conversamos exclusivamente com a Andressa Suita, que nos disse um pouco sobre tudo o que eles estão pensando para a “hora do sim”, o que ela pensa sobre a vida a dois e mais alguns detalhes. Confira!

Revista Em Dia – Mesmo os dois trabalhando com a imagem, vocês resolveram fazer uma cerimônia civil sem alarde na imprensa. Por quê?
Andressa Suita – Apesar de termos essa mídia toda em volta por causa do nosso trabalho, nós queríamos algo muito especial, totalmente nosso e bem íntimo. Então, fizemos a cerimônia apenas para os nossos familiares e amigos mais próximos.

ED – O que foi escolhido para a decoração da festa por vocês acharem que não poderia faltar nessa ocasião?
AS – Não tivemos nenhuma decoração, foi em casa mesmo, mas fizemos a composição de dois arranjos de flores pra decorar a mesa. Apenas isso. Fizemos algo bem simples, bem nosso, sem muito investimento ou coisas do tipo.

ED – Quanto ao vestido, o que você quis nele que sempre sonhou?
AS – Na verdade, para o civil eu escolhi um vestido que vi e achei super lindo, mas não é nada próximo do que eu quero para o religioso. A nossa cerimônia foi algo bem especial e íntima, até por isso procurei não usar o que eu mais queria de vestido naquele dia, mas sim estar com as pessoas mais certas para aquele momento.

ED – Então, para o religioso, você tem um modelo dos sonhos. Como ele é?
AS – Para o meu vestido quero algo mais simples, com bastante renda, sem muitas pedrarias. Quero bem rente ao corpo, modelando mesmo, sabe? E penso em pouca calda também. Mas ainda não está nada definido, são só ideias e desejos.

ED – O que você considera fundamental em um casamento, na vida a dois, que vai além das festas e oficializações?
AS – Eu acho que colocamos em primeiro lugar o respeito e o companheirismo, até mesmo antes de qualquer balada e oficializações. Se tivermos esses dois itens em nossas vidas, acho que o resto a gente tira de letra, não é?

ED – Mesmo com imagens públicas, como vocês lidam com o ciúme e as agendas diferentes? Dá pra curtir a vida de casados mesmo assim?
AS – Então, ter ciúmes eu acho que é inevitável em qualquer relação, mas penso que ter um pouquinho faz bem para o casal. Pelo menos pra gente faz bem! E quanto às agendas, tentamos sempre nos encaixar. Eu busco colocar os meus trabalhos para quando ele também estiver trabalhando, pra gente aproveitar mais um ao outro. É complicado e corrido sim, mas sempre damos um jeitinho (Risos).

Crédito: João Augusto e Michelle Barzotto

Crédito: João Augusto e Michelle Barzotto

ED – Vocês vão casar no religioso no final do ano. Será uma cerimônia mais aberta ou, mais uma vez, optarão por algo restrito?
AS – Vamos nos casar no segundo semestre, ainda não sabemos a data e nada, mas já estamos nos programando. Vamos fazer a cerimônia para os amigos e familiares mais próximos também, não gostamos tanto assim desses holofotes! Quando se trata de algo que é tão especial e íntimo pra gente, decidimos mais uma vez optar por algo mais simples e restrito.

ED – O que você já pode adiantar sobre a decoração, cardápio e outros detalhes do casamento religioso?
AS – Não sei de nada ainda, acredita? Ainda estamos vendo o que vamos querer e o que vamos escolher, mas ainda não vimos nada. Só estamos anotando algumas curiosidades e trocando algumas figurinhas do que eu gosto e ele gosta.

ED – Por que vocês resolveram inovar e se casaram no civil para, depois de um ano, fazerem a cerimônia religiosa?
AS – Ah, na verdade não foi uma inovação, já queríamos ter oficializado nossa união há um tempo. Estamos juntos faz três anos e meio, mas como é muita correria no nosso trabalho, acabamos colocando o trabalho em primeiro lugar, pois está fluindo muito bem para os dois. Mas quando vimos que podíamos de vez oficializar nossa união, não pensamos duas vezes!

ED – Vocês vão seguir algumas tendências nos detalhes da cerimônia religiosa e na festa?
AS – Imagino algo simples e também tradicional. Queremos casar com tudo que temos direito e, claro, depois fazermos uma bela comemoração com nossas famílias e amigos.

ED – Com essa correria de turnês do Gusttavo e seus trabalhos como modelo, como vocês arranjam tempo para escolherem os detalhes do casamento?
AS – Somos muito práticos com relação a isso. E hoje a internet e o telefone ajudam muito, né? Quando eu ou o Gusttavo achamos algo que irá nos agradar, mandamos um para o outro ver e analisar, aí a gente vai se entendendo. Mas ainda está tudo muito superficial.

ED – O que em sua opinião não pode faltar em uma festa de casamento, seja ela no civil, no religioso e independente da religião?
AS – O que não pode falta em hipótese alguma é o amor, o respeito para com o outro e a vontade de oficializar a união. Não é brincadeira oficializar uma união, então, é preciso ter essa certeza. A partir daí, todas as demais coisas que entram em uma cerimônia são totalmente ilustrativas, são necessárias, mas não totalmente fundamentais.

ED – Você quer deixar algum recado?
AS – Quero sim! Muito obrigada aos leitores da Revista Em Dia! Espero que tenham gostado e matado um pouquinho da curiosidade do que foi nosso dia tão especial. Um grande beijo a todos vocês!

Serviço:
Andressa Suita
Tels.: (21) 2523-3370 / (21) 98224-8068

Deixe uma resposta »