O glúten e seus segredos

redacao 16 de março de 2018 0
O glúten e seus segredos

Foto: Divulgação

Pães, cereais, trigo, bolacha e pizza são fontes ricas em glúten, uma proteína que pode fazer parte do cardápio diário se o seu consumo for equilibrado.

O glúten está mais presente na nossa alimentação do que imaginamos. Pode ser encontrado no bolo do café da manhã, no pão, no cereal, na bolacha, na pizza e até na cerveja do final de semana. E para contrariar os que adoram estes alimentos, muitos defensores de uma dieta saudável veem a proteína como vilã. Mas será mesmo?

O nutricionista Dr. Ricardo Zanuto explica que apesar de o organismo metabolizar o glúten, ele não é essencial ao corpo: “Trata-se de uma proteína grande formada por duas menores, a gliadina e glutenina. Como não é fundamental ao organismo, é possível viver sem ingeri-lo”.

Porém, para os que não pensam em cortar o glúten de suas refeições o Dr. Zanuto recomenda cautela: “Normalmente, os produtos com glúten têm muitas calorias. Sua ingestão deve estar aliada a uma dieta equilibrada”.

Calorias à parte, o glúten também é protagonista da doença celíaca, que é a intolerância à proteína. Segundo a professora de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina do ABC, Dra. Ethel Zimberg Chehter, a predisposição genética e o consumo de glúten são os fatores necessários para seu desenvolvimento: “A gliadina é a fração tóxica para o indivíduo com predisposição genética, que induz resposta da imunidade, tanto por citocinas quanto por reação de anticorpos. Qualquer pessoa pode desenvolver a doença, mas o diagnóstico é mais comum na infância”.

O Dr. Zanuto salienta que a doença afeta o intestino delgado e interfere na absorção de nutrientes como carboidratos, sais minerais e água. “Pessoas celíacas que consomem glúten podem ter inflamação crônica no intestino”, diz.

Os especialistas concordam que o único tratamento para os celíacos é o consumo de alimentos sem glúten. A Dra. Ethel comenta que alguns pacientes podem precisar repor vitaminas, principalmente o cálcio, cuja deficiência é consequência da dieta isenta desta proteína. O Dr. Zanuto reforça que o glúten é nocivo apenas para as pessoas celíacas e sugere: “Antes de cortar qualquer alimento da dieta, é bom buscar a ajuda de um profissional da nutrição”.

Serviço:
Prof. Dr. Ricardo Zanuto
Nutricionista Esportivo, Doutor e Mestre em Fisiologia Humana e Biofísica pelo ICB-USP; Graduado em Nutrição clínica, esportiva e em Educação Física com especialização em Fisiologia do Exercício, natação e atividades aquáticas.

Dra. Ethel Zimberg Chehter
Professora de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina do ABC e médica fellow da American Gastroenterological Association.

Deixe uma resposta »