Os benefícios da lição de casa

redacao 1 de outubro de 2013 0

O programa de reforma na educação municipal anunciada pelo prefeito Fernando Haddad no mês de agosto continua em consulta pública. O programa inclui mudanças como a divisão do ensino fundamental em três ciclos, a retomada da obrigatoriedade da lição de casa, boletins e provas bimestrais, entre outras.

Em grande parte das escolas privadas, a lição de casa é obrigatória e diária. Os motivos para a aplicação da atividade são muitos e complexos.

Luís Márcio Barbosa é diretor do Colégio Equipe, em Higienópolis. Ele é um dos que reforça a tese de que vários estudos indicam que a maior exposição dos alunos às situações e conteúdos escolares amplia suas possibilidades de aprendizagem. Mas para a atividade se tornar obrigatória na rede pública municipal, Luís Márcio diz ser necessário o poder público criar condições para que os professores possam construir boas orientações de trabalho para casa, e depois conferir se o aluno aprendeu.

Para a coordenadora pedagógica do ensino fundamental no Colégio São Judas Tadeu, na Mooca, Mônica Bertolini, a lição de casa não pode ser vista apenas como uma atividade. “É um desafio para o professor criar lições relevantes, adequadas, inclusas no planejamento estratégico e dentro do processo ensino aprendizagem”, diz.

Cintia Fondoura, coordenadora pedagógica na Escola Castanheiras, em Tamboré, compartilha com a opinião de que as lições devam ser estruturadas dentro do currículo e processo ensino aprendizagem, mas também contribuem para aumentar o comprometimento dos alunos com as obrigações de estudante.

No Colégio Brasil Canadá, em Perdizes, a lição de casa é aplicada a partir da educação infantil. Para a coordenadora do segmento, Rosa Maria Cavalcanti, a prática é excelente instrumento de formação. “A obrigação, a rotina, a busca em melhorar sempre, deve fazer parte da cultura da criança”, diz. Fernanda Gimenes, diretora da Escola Cidade Jardim Playpen também defende a teoria. “É o primeiro compromisso que a criança assume com a escola e com os estudos. Aprende a ser responsável”, enfatiza.

No ensino médio do Colégio Brasil Canadá, a coordenadora Cristina Figueiredo, é a favor da obrigatoriedade da lição para que o aluno, de fato, retenha o conteúdo do que estudou em sala de aula. “Não basta ter tido aula com excelente professor, e achar que entendeu tudo e pronto. O aluno precisa sentar e estudar em casa por uma, ou duas horas, para fixar o aprendizado”, acredita.

Com o olhar voltado para alunos com maior dificuldade nos estudos, a Psicóloga e diretora do Colégio Graphein, em Perdizes, Nívea Fabrício, diz que a lição de casa é excelente ferramenta para trabalhar focos importantes. “Com a lição, o aluno com maior dificuldade compartilha com a família determinados conteúdos, sistematiza o que já aprendeu, pesquisa e encontra temas, que depois podem ser abordados em sala de aula”, diz.

Segundo Tatiana Gola, coordenadora pedagógica do ensino fundamental no Colégio Magister, zona sul da capital, “Nas reuniões com os professores, criamos temas a serem debatidos, que os auxiliam no desenvolvimento de estratégias e proporcionam melhor aprendizado do aluno”.

Serviço:
Colégio São Judas
www.colegiosaojudas.com.br

Deixe uma resposta »