Rugby – A nova paixão dos brasileiros

redacao 15 de abril de 2015 0

O Rugby, de grande popularidade na Nova Zelândia, África do Sul, Austrália, Ilhas do Pacífico Sul, França, Inglaterra, Gales, Escócia, Irlanda, Itália, Argentina, agora está conquistando o Brasil. De acordo com a Confederação Brasileira de Rugby, a prática vem atingindo todos os Estados, com mais de 230 clubes cadastrados junto à instituição. “Trata-se de um esporte de grandes valores, que enfatiza solidariedade, respeito, trabalho em equipe, doação, superação. É um instrumento educacional incrível e apai­xonante, que forma laços duradouros entre as pessoas. Temos mais de 160 mil seguidores em nossa página do Facebook, o SPORTV realiza transmissões e chegou próximo à marca de 2 milhões de telespectadores.

O passo decisivo para o Rugby se tornar mais popular é sua difusão nas escolas. É preciso que seja conhecido pelas pessoas e praticado desde a juventude para se enraizar”, afirma o coordenador de comunicação, Victor Ramalho.

Para o educador físico Valter Sugarava da Silva Junior, ex-jogador da seleção brasileira de Rugby, conhecido como “Japinha”, e proprietário do Centro de Condicionamento Físico Qualific voltado para atletas dessa modalidade, este é um esporte de contato parecido com o futebol americano, cujo objetivo é chegar à linha de fundo adversária, que pode ser praticado por qualquer idade e sexo. “Exige um bom preparo físico, por isso é indicada também a prática de treinos aeróbios de alta intensidade, como corridas frequentes, treinos de atletismo, entre outras práticas, além da musculação. O jogador que não faz musculação, pelo menos duas vezes na semana por exemplo, pode se machucar no treino ou no jogo. O resultado é compensador: corpo torneado, principalmente pernas e ombros, além do excelente condicionamento físico que será desenvolvido”, finaliza.

Entenda o jogo
O Rugby possui duas modalidades principais: o Rugby XV, a modalidade tradicional, jogada por duas equipes de 15 jogadores em dois tempos de 40 minutos; e o Rugby Sevens, a modalidade reduzida, jogada por duas equipes de sete jogadores em dois tempos de sete minutos. O primeiro tem como competição de maior expressão no mundo a Copa do Mundo de Rugby, reconhecida como o terceiro maior evento esportivo e que chega à mais uma edição em 2015, na Inglaterra. Já o Rugby Sevens é a modalidade olímpica, que será disputada em 2016.

Ambos são disputados com as mesmas regras, com pequenas variações. A principal forma de pontuação do Rugby é o Try, que consiste em atração a linha de fundo e apoiar a bola no chão, valendo cinco pontos. A equipe que anota o try ainda tem direito a um chute a gol, valendo dois pontos, a chamada Conversão. Há também o chute de penal, dado após uma falta grave, valendo três pontos; e o drop goal, um chute a gol dado com o jogo em andamento, também valendo três pontos. Para a conversão, o penal e o drop goal serem validados, a bola precisa passar entre as traves e sobre o travessão, que possuem, juntos, o formato de “H”.

No Rugby, a bola pode ser passada com as mãos apenas para um atleta que esteja atrás ou na mesma linha do passador, mas com os pés a bola (que tem formado oval) pode ser chutada para frente. Somente o atleta que está em posse da bola pode ser derrubado e a ação de se derrubar um atleta, o chamado tackle, pode ser efetuado apenas da linha do peito para baixo. Quando o atleta vai ao solo, ele deve liberar a bola e a disputa dos dois times pela bola no chão é o chamado ruck. Outras duas formações características para a reposição da bola em jogo são o scrum (no qual oito atletas de cada lado se empurram e buscam a posse da bola, introduzida no meio da formação), formado após uma infração leve; e o lineout, o alinhamento para a cobrança do lateral.

Deixe uma resposta »