Ser educado não sai de moda!

redacao 28 de novembro de 2013 0

Pensei em escrever neste editorial algo sobre moda para harmonizar (esta palavra está na moda) com a entrevista que fizemos com a jornalista Lilian Pacce, hoje referência no assunto. Então escolhi refletir sobre o tema, mas com foco no comportamento das pessoas ou em como elas vivem em nosso País e principalmente em nossa Cidade. Cheguei à conclusão que estamos um pouco fora de moda. Para sustentar esta afirmação, vou listar alguns dos fatos que tenho visto ou vivido:

– Enquanto vemos nos palcos da Capital shows com a qualidade e competência de uma Marisa Monte, Milton Nascimento, Djavan, Duofel, Jazz Sinfônica, John Mayer e tantos outros, somos bombardeados pelas “poderosas” ou pelos “lek leks” repetidamente em todos os programas de televisão e nas mídias sociais.

– Abro o caderno de negócios no jornal e leio a fala do presidente mundial da Volvo, Hakan Samuelsson, que ao anunciar o lançamento do utilitário X90 no Brasil, afirmou que o carro “vai ser muito atraente para os nossos buracos e valetas”.

– Por mais que se faça campanha de conscientização para se respeitar os pedestres, ainda temos que conviver com a buzina do carro de trás, todas as vezes que paramos para dar preferência a quem tenta atravessar nossas ruas.

– E se locomover de bike? Insisto por ser perseverante e adorar a modalidade desde pequeno, mas confesso que tenho orgulho da minha coragem!

– Falando em transporte, o que se faz para o coletivo? Até quando vai se investir somente no modelo do transporte solitário, entupindo as ruas de carros potentes que caminham a passos de tartaruga?

– Já reparou que quanto mais “bacana” é o carro, mais difícil é encontrar um sinal de “obrigado” ou a gentileza de dar a preferência?

– No metrô os idosos e gestantes são ignorados pela repentina crise de sono que ataca os jovens sentados, principalmente os que estão nos bancos preferenciais.

– Nos encontros sociais, sentamos à mesa com amigos ou parentes que não vemos há tempos e temos que disputar a nossa audiência com os smartphones e os seus joguinhos ou mídias sociais. Nessa disputa, perdemos sempre!

– Pior ainda é quando o seu convidado fala mal de você na sua própria festa!

É preciso resgatar a honestidade, franqueza, gentileza, a educação e o bom humor. Bom dia, boa tarde, boa noite, olá, como vai?, por favor, muito obrigado, com licença, me desculpe e posturas honestas e leais precisam voltar urgentemente. Quando não há educação, elegância e boas maneiras, não tem “pretinho básico” ou roupa “sequinha” que dê jeito. Você vai estar sempre fora de moda!

Fiquem com Deus e até a próxima!

Paulo César Cardoso
paulopat@pacprommos.com.br

Deixe uma resposta »