Um paraíso na África do Sul

redacao 27 de junho de 2017 0

Foto: Divulgação

Cape Town ou Cidade do Cabo (como é chamada em português) é daqueles lugares que despertam o amor à primeira vista, uma espécie de “Rio de Janeiro” sul-africano, mas com casas de arquitetura vitoriana, trânsito na mão inglesa e uma população de negros e brancos vivendo em total harmonia com o fim do apartheid. Aliás, o idioma dominante na região é o africâner, proveniente da mistura entre as línguas holandesa, alemã, francesa e britânica com a dos trabalhadores asiáticos levados para a área.

A cidade é a porta de entrada para algumas das principais atrações turísticas da África do Sul, como: o Cape of Good Hope (Cabo da Boa Esperança); a Table Mountain, uma descomunal cadeia de montanhas; as Winelands (rota das vinícolas), a Garden Route (rota dos jardins).

 

COM UMA POPULAÇÃO MULTIÉTNICA E SUPERJOVEM, ENTRE OS ATRATIVOS DA CIDADE SUL-AFRICANA ESTÃO LINDAS PRAIAS, ATIVIDADES DE AVENTURA E RESTAURANTES DESCOLADOS.

 

HISTÓRIA, AVENTURA E RELAX

O destino possui atrativos que agradam diferentes perfis de turista. A Cape Península (Península do Cabo) fica na pontinha sudoeste da África, onde os oceanos Atlântico e Índico se encontram. São quase 70 km de estrada panorâmica entre Cape Town e Cape of Good Hope, célebre na história das grandes navegações. O roteiro cruza o Table Mountain National Park e passa por praias como Boulders Beach, que reúne uma colônia de 3 mil pinguins.

Para os caçadores de adrenalina, nos arredores de Cape Town e em todo o Estado de Western Cape não faltam opções, como o Bungee Jumping mais alto da África, de 216 m, na Bloukrans Bridge; canoagem em Simon’s Town (onde é possível ver baleias e pinguins); e mergulho em Gansbaai, com a maior concentração de tubarões brancos do mundo.

Já no quesito gastronomia, Cape Town é um destino gourmet por excelência. Influências malaias, indianas e europeias na culinária local tornam frutos do mar e outras iguarias sul-africanas mais interessantes. Entre os restaurantes idolatrados pela crítica especializada estão: O The Test Kitchen do renomado chef Luke DaleRoberts.E o Aubergine, com seus ingredientes sazonais em pratos inventivos.

E quem busca relaxar encontrará na cidade os spas mais incríveis da África do Sul. Entre eles, destacam-se o One&Only, no hotel de mesmo nome, com decoração africana espetacular, 12 salas de tratamento e piscinas revitalizantes; e o Camelot Spa, no Table Bay Hotel, que monta pacotes de um dia com massagens, reflexologia e talassoterapia sem a necessidade de ser hóspede.

Table Mountain
É uma majestosa montanha em forma de chapada, com 1.086m de altura e que se ergue, soberana, na paisagem da cidade. Cercada por um parque nacional que ocupa 75% da Península do Cabo, ela é acessada por um bondinho com saídas a cada 10 ou 20 minutos. Lá de cima, as fotos da cidade são sempre impressionantes. Uma boa dica é agendar a subida para um pouco antes do pôr do sol.

Robben Island
Até 1996, esta era uma ilha-prisão, na qual Nelson Mandela viveu encarcerado por 18 anos. Hoje é Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco e abriga um museu, com direito a tours pelas celas (inclusive a de Mandela). Chega-se lá de balsa, em meia hora, a partir do V&A Waterfront.

Victoria&Alfred Waterfront
É um porto de 1860 que foi revitalizado de maneira exemplar e transformado em ímã para turistas e locais. É a área mais animada da cidade, a qualquer dia. Ali, de frente para o mar, acomodam-se hotéis, um shopping ótimo, uma roda gigante, artistas de rua, e quase 80 restaurantes para experimentar fresquíssimos frutos do mar ou carnes de caça, um clássico sul-africano.

 

Roteiros Clássicos a partir de Cape Town:

Winelands (Rota do Vinho)
Um roteiro para amantes do bom vinho e da boa mesa. Partindo de Cape Town, pode-se explorar facilmente as Winelands pela estrada Cape Route 62, margeada por mais de 50 vinícolas. Em Franschhoek, a nordeste da cidade de Stellenbosch, o estrelado The Tasting Room fica no Relais&Chateaux Le Quartier Français, sendo uma figura fácil nas listas de melhores restaurantes do mundo, servindo frutos do mar com sotaque francês.

Garden Route
São 375 km de estrada costeira (a N2) e imensa variedade de atrações, de visita a cavernas a mergulho com tubarões. A viagem começa em Mossel Bay e vai até Storms River, já no Estado de Eastern Cape. Em Odtshoorn, o barato é saborear um prato ou montar no lombo de um avestruz; em Knysna, ver o encontro do Oceano Índico com uma imensa lagoa; e em Tsitsikamma National Park, fazer trilhas pela floresta florida.

Plettenberg Bay
A baía fica na Garden Root, mas é destino que merece alguns dias de dedicação. O lugar tem praias badaladas e um famoso safári marítimo para avistar baleias, golfinhos, focas e aves marinhas, como os albatrozes.

Esticada Fora do Circuito:
Quer conhecer uma África do Sul remota? Viaje por estradas ou trilhos ao Estado de Northern Cape. Sua capital, Kimberley, é também a capital das minas de diamante – e uma das paradas do luxuoso trem Rovos Rail em seu trajeto de Pretoria a Cape Town. Essa província é de longe a maior e a menos populosa do país – não à toa, tem vida selvagem incrível. Raridades como o leão de juba negra, além de guepardos e leopardos, perambulam pelo Kgalagadi Transfrontier Park, na fronteira com Botsuana. Já o remoto Richtersveld National Park, um grande deserto montanhoso, convida a explorações em veículo 4×4 e noites em acampamentos rústicos. Esportes aquáticos são outro ponto forte da região.

Deixe uma resposta »