Você conhece a discalculia?

redacao 2 de julho de 2014 0

Foto: Divulgação

Discalculia:
Superando as dificuldades em aprender matemática

Direcionado a psicopedagogos, psicólogos, estudantes e principalmente para professores de matemática, o livro aborda o tema com simplicidade, levando o leitor a compreender o que é a discalculia e como ela afeta a vida dos educandos, quais as suas dificuldades, anseios e frustrações.

Antigamente apenas homens de posses estudavam matemática. Criou-se um mito de que a disciplina era somente para os mais inteligentes e para poucos. O jovem que dominava esta ciência era visto como um aluno notável.

Ainda hoje este mito perpetua, muitos alunos entram em pânico quando ouvem a palavra matemática, outros acreditam que são fracos educacionalmente porque apresentam dificuldades neste conteúdo escolar. Porém o que muitos desconhecem é que a aversão das crianças por matemática pode ser mais complicada que uma dificuldade de aprendizado, pode ser um problema de Discalculia.

Esse distúrbio neurológico afeta exatamente o raciocínio matemático. Poderíamos dizer a ‘grosso modo’, que a Discalculia é como a Dislexia, só que com números.

Para que a criança com esse distúrbio tenha uma vida acadêmica de sucesso é imprescindível que ela tenha o apoio dos pais, da escola e que seja auxiliada por vários profissionais, entre eles psicopeda­gogo, psicólogo, neurologista e pediatra. Observar o filho desde pequeno ajuda no diagnóstico de diversos distúrbios existentes, claro não devemos comparar as crianças, porque cada ser é único, mas compreender que a cada faixa etária elas desenvolvem diversas habilidades é fundamental.

A criança com Discalculia tem um QI dentro das normalidades e tem talentos para outras disciplinas como: Arte, Educação Física, Música e Geografia, enfim ela apenas apresenta dificuldade em matemá­tica. Os pais podem ajudar seus filhos a entenderem que o distúrbio está associado à matemática e que eles possuem outras qualidades e dons, pois, muitas vezes, a criança que possui a Discalculia apresenta baixa autoestima e é dever dos pais reforçar e elogiar outras atividades da criança. Lembre-se que acompanhar as atividades escolares, ajudar nas tarefas, organização do caderno, permitir o uso de calculadoras são recursos que contribuirão de forma significativa para seu desenvolvimento educacional.

Foto: Divulgação

*Ana Maria Antunes de Campos é especialista em Ensino Lúdico, tem experiência na área educacional, com ênfase em Ensino e Aprendizagem na sala de aula e com foco na formação de professores, e é pós-graduada em Didática e Tendências Pedagógicas. Autora de vários artigos educacionais, livros infanto-juvenis e outras obras na área da educação, atualmente é professora de matemática e estudante de psicopedagogia.

Informações
Autora: Ana Maria Antunes de Campos Editora Wak – 72 páginas
Preço Sugerido: R$ 26

 

 

Deixe uma resposta »